Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Guerra, Estratégia e Armas



Domingo, 17.12.17

Inacreditável, O Povo Chinês não Conhece a sua Históris

 

 

 

INACREDITÁVEL!

Só desde há poucos dias é que o imenso povo chinês teve um reduzido conhecimento da verdade sobre a resistência do então exército nacionalista chinês à invasão da China pelo Japão.

Em todos os livros escolares e históricos vendidos na China Comunista, o exército nacionalista do Kuomitang do Marechal Chang Kai Cheq nunca existiu ou não resistiu aos invasores e os americanos não formaram uma força aérea dita voluntária com centenas de caças P-40 dos EUA que se bateram com bravura contra o Japão.

Segundo a historiografia da China dita popular, a guerra foi toda travada entre o Partido Comunista da China e o Japão e nunca existiram aviões americanos.

Todas as gerações até às atuais de 80 anos de idade foram educadas nas escolas e universidades na maior mentira de sempre feita a uma população.

O Japão invadiu lentamente a China a partir de 1931 na sequência do chamado incidente de Mukden. O primeiro combate e outros subsequentes foram ordenados pelo exército japonês sem o consentimento do tão venerado imperador nem do Governo Parlamentar. Nessa altura o exército tomou conta da Manchúria e colocaou lá o Imperador fantoche Pu I que deveria ser depois Imperador de uma China comandada pelo Japão

O Partido Comunista tinha organizado a "longa marcha" de Xangai para o interior da China junto à fronteira com a URSS e lá se manteve até 1945 quando saiu para destruir o Exército da República da China. Ainda durante a guerra, as milícias comunistas atacavam pela retaguarda o exército nacionalista, combatendo de facto ao lado do Japão contra o seu próprio país.

O exército oficial do governo e presidente Chang Kai Cheque combatiam o Japão no sul da China e quando os nipónicos se renderam, o norte foi subitamente tomado pelas milícias comunistas porque os americanos se recusaram a transportar nos seus navios o exército nacionalista para o Norte para ocuparem Pequim e Nanquim como estava no seu direito de tropas de um país soberano.

A grande invasão começou em 1937 com a oposição americana que formou forças voluntárias aéreas para combater os bombardeiros japoneses que matavam chineses às centenas de milhares e até ao fim da Guerra em 1945 não houve um único avião russo a participar na guerra em que os historiadores oficiais do partido de Mao transformavam os famosos P-40 em caças russos.

As grandes batalhas com derrotas e vitórias foram TODAS travadas contra o exército nacionalista e oficial da China.

Os EUA opuseram-se a essa invasão nipónica com a aplicação de sanções no sentido de proibir o fornecimento de petróleo, gasolina de aviação, ferro, carvão e sucatas que alimentavam as indústrias bélicas do Japão.

Curiosamente, a URSS durante todos os anos da guerra, ou seja, desde de 1931 a, talvez, Dezembro de 1941, forneceram muitas dessas matérias primas que permitiram aos japoneses construir muitos aviões e navios de guerra, nomeadamente porta-aviões.

Na sequência desse embargo americano, os japoneses fazem o ataque a Pearl Harbour a 8 de Dezembro de 1941 e os americanos foram assim obrigados a defenderem-se na guerra do Pacífica e também na Europa porque a Alemanha Nazi declarou dias depois guerra aos EUA, tornando a URSS um aliado de facto dos EUA que contribuíram com um quase inesgotável fornecimento de materiais de guerra, máquinas para a construção de tanques e aviões, alimentos, camiões militares Studbaker, alimentos, fardas e botas. Sem os fornecimentos que chagavam em imensos comboios de navios ao porto de Murmansk no Ártico russo, a URSS não teria resistido à máquina de guerra nazi.

Pois, recentemente, o presidente Xi Pinjing falou num discurso nos muitos heróis nacionalistas que tombaram em combate pela Pátria, mas ainda não revelou tudo e fê-lo porque o partido nacionalista Kuomitang que governou Taiwan não quer criar uma República Independente naquela ilha como pretendem os atuais detentores do poder, eleitos democraticamente. Portanto, como quer o povo da ilha que nem é etnicamente chinês na totalidade.

Para os nacionalistas, Taiwan é a República da China, sem o termo Popular no meio, e isso agrada hoje à China Comunista que até poderia estar na disposição de aceitar o Kuomitang no Continente como segundo partido a concorrer a eleições desde que Taiwan fosse integrada na China.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por DD às 17:43


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Dezembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31